Nada pode, tudo ofende! Quais são os limites do bom senso?